domingo, 29 de março de 2015

Todo Dia É Dia D Poesia Todo Dia


Todo Dia é Dia D Poesia Todo Dia 

onda de sol lavou o mar na noite clara
lambi o sal que ficou entre os eu seios
e o mel que escorreu até as coxas

quando Deus expulsou os dois do paraíso
o amor nunca me disse por onde veio
se foi o sexo que plantou Flores do Mal
ou foi o mal que desfolhou a flor do meio
Mallarmè já inventou tudo o que creio
como o abismo em nossos corpos lado a lado
se o osso é duro meto os dentes sem receio
até sangrar o teu pudor - Lance de Dados

Artur Gomes



Lance de Dados


onda de sol lavou o mar na noite clara
lambi o sal que ficou entre os eu seios
e o mel que escorreu até as coxas

quando Deus expulsou os dois do paraíso
o amor nunca me disse por onde veio
se foi o sexo que plantou Flores do Mal
ou foi o mal que desfolhou a flor do meio

Mallarmè já inventou tudo o que creio
como o abismo em nossos corpos lado a lado
se o osso é duro meto os dentes sem receio
até sangrar o teu pudor - Lance de Dados






Entre Deus e o Diabo

beira valão pedalo a mesma trilha
santa clara praia do sossego
o mar nos cornos o sol na quina
e a vida segue sempre viva - Teresina
quantas solas de sapatos
já gastei nesta disputa
entre o sol o mar deus e o diabo
este azul é um precipício
se não matar o dragão da maldade
não livro esta cidade do hospício

Artur Gomes

Nenhum comentário:

Postar um comentário