sexta-feira, 11 de janeiro de 2013

paisagem



corrosão solar - foto: artur gomes

PAISAGEM

Alguém aguarda
como um anjo noturno
pela flor nascida
nos metrôs.

Estar longe
é como as águas dos rios
e tudo o que elas transportam:
o bicho putrefato
árvores solenes
pneus gastos
peixes químicos
destroços das pontes.

Das sombras
saem as mais sutis das bombas
atentas em cada canto dos tuneis
em cada poema que virá.

O sábio constrói esquinas
e as abraça com seu manto
laser.

De minha janela
vejo buganvílias
e beija-flores
atômicos.

Martinho Santafé
autor de Manual Para Assassinar Frangos
poema vencedor do IIIº FestCampos de Poesia Falada
Campos dos Goytacazes - 2001

Nenhum comentário:

Postar um comentário