quarta-feira, 9 de maio de 2012

antropofágica 2

na coluna vertebral dos teus martírios
meus poemas instalam seus mistérios
tudo silêncio
tudo festa
tudo farra
tudo fresta

ela tem no umbigo um formigueiro
leoa presa numa jaula de ferro
seu tempo é todo de aulas
jung, freud, deleuze, marcuse
análise quântica dos nervos
semântica física dos ossos

sob o vestido branco de rendas
penso teus dedos de sedas
tocando o bico dos seios
quando tens a carne exposta
e as frutas da santa ceia
coloco na mesa posta

artur gomes

Nenhum comentário:

Postar um comentário