sexta-feira, 23 de março de 2012

Sarau Fulinaimagem - Artur Gomes


com um repertório variado que vai de Fernando Pessoa a Torquato Neto, passando por Paulo Leminski, Drummond, Ademir Assunção, Affonso Romano de Santanna e Ferreira Gullar,  Artur Gomes comanda no próximo sábado dia 31 de março das 20:00 às 23:00hs o Sarau Fulinaimagem na Creperia & Drinkeria ZOOM IN – Av Sernambetiba,  - Barra da Tijuca -  Rio de Janeiro. Você é nosso convidado. 

Endereço: Av. Sernambetiba/Lucio Costa ao lado do Posto 7 altura do número 5.200 - Barra da Tijuca - Rio de Janeiro

 
 
Fulinaimagem
 
1

por enquanto
vou te amar assim em segredo
como se o sagrado fosse
o maior dos pecados originais
e a minha língua fosse
só furor dos canibais
e essa lua mansa fosse faca
a afiar os verso que ainda não fiz
e as brigas de amor que nunca quis
mesmo quando o projeto
aponta outra direção embaixo do nariz
e é mais concreto
que a argamassa do abstrato

por enquanto
vou te amar assim admirando o teu retrato
pensando a minha idade
e o que trago da cidade
embaixo as solas dos sapatos

2

o que trago embaixo as solas dos sapatos
bagana acesa sobra o cigarro é sarro
dentro do carro
ainda ouço jimmi hendrix quando quero
dancei bolero sampleando rock and roll
pra colher lírios há que se por o pé na lama
a seda pura foto síntese do papel
tem flor de lótus nos bordéis copacabana
procuro um mix da guitarra de santana
com os espinhos da rosa de Noel
 

quarta-feira, 21 de março de 2012

Gente fina é outra coisa... Elis Regina

     
Considerada pelos críticos como uma das vozes mais viscerais da MPB Elis Regina será homenageada pela cantora Maria Fernanda no show “Gente fina é outra coisa...”, no ano que marca os 30 anos de seu falecimento.

O espetáculo acontece nesta quinta 22, às 20h, no Teatro do Sesc Campos. A entrada é franca.
        No compasso de “Gente fina é outra coisa... Elis Regina” Maria Fernanda & Cia apresentam com novas roupagens os grandes sucessos interpretados pela eterna Elis Regina. A apresentação tem no repertório canções de compositores eleitos por Elis. Entre eles Edu Lobo, Chico Buarque, João Bosco, Ivan Lins e Gilberto Gil.

– É com grande prazer que trago para o Sesc Campos este trabalho que reverencia a grandiosidade desta interprete maior da música brasileira. Elis foi, e, é um ser inexplicável em minha concepção cultural. Sua arte transcende a movimentos, estilos e afixa em nossos corações como o reflexo do talento puro e nato. Venham reviver o melhor de Elis Regina – convida Maria Fernanda.

Banda
“Gente fina é outra coisa... Elis Regina” tem como protagonistas a intérprete Maria Fernanda, o pianista e diretor musical Márcio Leal, o baixista Marcelo Silva e o baterista Gilberto Marinho.

terça-feira, 20 de março de 2012

com os dentes cravados na memória


Fulinaimagem

1

por enquanto
vou te amar assim em segredo
como se o sagrado fosse
o maior dos pecados originais
e a minha língua fosse
só furor dos canibais
e essa lua mansa fosse faca
a afiar os verso que ainda não fiz
e as brigas de amor que nunca quis
mesmo quando o projeto
aponta outra direção embaixo do nariz
e é mais concreto
que a argamassa do abstrato

por enquanto
vou te amar assim admirando o teu retrato
pensando a minha idade
e o que trago da cidade
embaixo as solas dos sapatos

2

o que trago embaixo as solas dos sapatos
bagana acesa sobra o cigarro é sarro
dentro do carro
ainda ouço jimmi hendrix quando quero
dancei bolero sampleando rock and roll
pra colher lírios há que se por o pé na lama
a seda pura foto síntese do papel
tem flor de lótus nos bordéis Copacabana
procuro um mix da guitarra de Santana
com os espinhos da Rosa de Noel

artur gomes

entre dentes 3



 Entre dentes 3

com os dentes
cravados na memória
soletro teu nome
cabo frio

barco bêbado
naufragado
fora do teu cais

caminha marítimo
por onde talvez
já passou meu pai

arturgomes

quinta-feira, 15 de março de 2012

VERSO, POESIA E ESTÉTICA


p/ Wilson Rocha

A condição essencial da subjetividade lírica depende antes de tudo do domínio da arte poética, da técnica de versificação, que comporta uma forma estrutural em que o mundo sensível, a interioridade e individualidade poética, ou estilo, possam mais facilmente submeter-se às formas teóricas que a arte exige, pois a estética, mais que uma necessidade, é uma exigência acima de tudo. Todos sabem que neste mundo sempre há quem escreva versos sem ser poeta. E também – como disse Tomachevski – que a língua vulgar contém tudo o que está na poesia, menos poesia.

Na era tecnológica em que vivemos, a decadência da vida civilizada está exaurindo a arte e secando as fontes da criatividade e da vida espiritual do homem. Por isso o conceito de poesia está morrendo na alma do homem contemporâneo, que parece estar-se voltando para a vida tribal e fixando-se no psiquismo consumista, na irracionalidade do drama ecológico e na imensa e indomável economia das drogas.

Os poemas atualmente produzidos são quase sempre meros atentados contra a língua e a estética, sobretudo em um país provinciano e tradicionalmente iletrado como o nosso onde os pequenos literatos são tão abundantes e televisivos e os poetas se confundem com os fazedores de modinhas, como se a poesia fosse algo tão banal, descartável e massiva como a música popular.

Na conjuntura intelectual da Bahia, onde já não se vêem atualmente jovens poetas eruditos como Jair Gramacho, é reconfortante vislumbrar, contudo, algum brilho na produtividade de uns raros poetas emergentes, como, por exemplo, Carlos Loria, que prestou recentemente um valioso serviço às letras do nosso meio ao traduzir com perícia e brilho todo o fascínio, a magia e o lirismo genial de um dos maiores poetas do século, o norte-americano Edward Estlin Cummings (1894-1962). Além de poeta dotado de forte vocação lírica e bom tradutor, Carlos Loria é um artífice consciente das dificuldades. O seu ofício e seus livros, elegantes e agradáveis, são de boa categoria gráfica, como se vê em Cummings 20 Poemas, edição Código, Salvador, 1990; Casa Clara, Código, 1991, e Territor, Edições Audience of One, Salvador, 1993, ambos de excelente qualidade, poesia marcada pelos sinais pungentes da existência do homem, as cores e os eflúvios do cotidiano, a sombra e a memória da criatura e de seus objetos. Acontecimento sobretudo significativo é a sua tradução dos poemas de Cummings.  

any man is womderful
and a formula
a bit of tobbacco and gladness
plus little derricks of gesture

(todo homem é um assombro
e uma fórmula
um pouco de tabaco e júbilo
e um que outro ademane)


Poesia atenta aos rumores e visões que a cercam, que se procura intimamente, obsessivamente buscando novos caminhos, hesitante entre vanguardismo e uma longínqua descendência surrealista, a voz poética de Almandrade (Antonio Luiz M. Andrade), também arquiteto e artista plástico, já com obras publicadas, caracteriza-se por uma dramaticidade não longe nem isenta das grandes preocupações vivenciais do homem contemporâneo, como se vê em seu último livro, Arquitetura de Algodão, onde se encontra esse instante de puro lirismo:

Quando vem
 a noite
 corro atrás
 do sono
 na certeza
 talvez
 de encontrar
 tua imagem
 no sonho. 

A força da poesia está no súbito confronto do espírito do homem com o desconhecido, com o impacto da visão daquilo que não existia antes.

Wilson Rocha
(1921 - 2005)

Mostra Curta IFF - 15 de Março



 
programação para hoje 15 de Março
TV Do Refeitório
Horários: 11;30 às 13:00h e 19:40 às 20:30h
 

Seu Arlindo Vai A Loucura - com Mauro Mendonça - Direção: Raoni Reis - estudante da Universidade Federal de São Carlos
 

Guarani Mbyá - Direção: Wladmir Santafé - Niterói
 

Ventilador -  com Artur Gomes, Cairo Trindade, Igor Fagundes e grande elenco - Direção: Jiddu Saldanha - Cabo Frio

Intervensões Poéticas Áudiovisuais na Concha Acústica
 

Ignorados - Documentário de Axandro Florentino sobre a situação de Moradores do Açu - Núcleo de Produção Áudiovisual da UFF - Campos
 

Malditos Bem Ditos - com Artur Gomes interpretando poesia de Paulo Leminski, Toquato Neto e Ademir Assunção - Direção: Federico Baudelaire
 

Estátua Viva Poesia a um Real - com Marcos Barhone, filmado em Bento Gonçalves, participação especial de Gabriel - finalizado no Laboratório de Cinema - IFF Campus Campos centro
 

vídeo.clipes - Capital Inicial, Cássia Eller, Teatro Mágico e cordel do Fogo Encantado

Produção: Laboratório de Cinema - IFF Campus Campos Centro
coordenação: Artur Gomes

terça-feira, 13 de março de 2012

Mostra Curta IFF - 14 de Março


programação dia 14 de março 2012
TV Do Refeitório: 11:30 às 13:00h


Brisa - filmado em Bento Gonçalves, com Artur Gomes, Jorge Ventura e May Pasquetti - Direção: Jiddu Saldanha - Cabo Frio
A Garrafa Mensageira - Direção: Luana Nascimento - Campos dos Goytacazes
Seu Arlindo Vai A Loucura - com Mauro Mendonça - Direção: Raoni Reis - estudante da UNFSC 
Guarani Mbyá - Direção: Wladmir Santafé - Niterói

Intervenções Poéticas Áudio Visuais

Cefet-My Generation - Direção: Bruno Fortunato - estudante IFF Campus Campos Centro

A Flôr do Mangue - produzido pelo NUPERN - IFF Campus Macaé - Direção: Maria Inês Paes Ferreira
Memórias - produzido pela Oficina Eco Anzol - Edição: Jéssica Felipe - estudante IFF Núcleo Avançado de São João da Barra
8 de Março - Eu Te Desejo Flores - produzido pelo Laboratório de Cinema - IFF Campus Campos Centro - Edição: Larissa Vianna
A Vontade - com Nina de Pádua - Direção: Luiz Felipe Berto - Estudante da UFRJ
Pontal - de Aluysio Abreu Barbosa, Adriana Medeiros, Antônio Roberto Góis Cavalcanti e Artur Gomes, com Artur Gomes, Yvi Carvalho e Sidney Navarro

produção: Laboratório de Cinema - IFF Campus Campos Centro
coordenação: Artur Gomes

segunda-feira, 12 de março de 2012

1º Festival Nacional de Cinema do IFF


Filmes selecionados Para Mostras Competitivas

Censura – Direção: Fabrício Mira – Campos dos Goytacazes
Aline na Ilha de Nexus – Direção: Alexandro Florentino – Campos dos Goytacazes
A Garrafa Mensageira – Direção: Luana Nascimento – Campos dos Goytacazes
A Vida Por Si Própria – Direção: Reynaldo Machado – estudante do IFF Campus Campos Centro – São Fidélis
Ditabranda – Direção: Felipe Vianna – Rio de Janeiro
Guarani Mbyá – Direção Wladimir Santafé – Niterói
Faça Você Mesmo – Direção: Kelvin Klein – Campos dos Goytacazes
Big Bang do Gênesis – Direção: Cleubert Choi – Brasília
Protetor – Direção: Cleuberth Choi – Brasília
Solo do Silêncio – Direção: Pako Chagas Rocha – Brasília
Chapada – Direção: Valério Fonseca – Rio de Janeiro
A Maldição de Berenice – Diredção: Valério Fonseca – Rio de Janeiro
Pegadas de Zila – Direção: Valério Fonseca – Rio de Janeiro
Trhómos – Direção: Elias Souza Ribeiro – estudante do ISECENSA – Campos dos Goytacazes
O Cortiço – Direção: Reynaldo Machado – estudante do IFF Campus Campos Centro – São Fidélis
Invisível – Direção: Walter Augusto – estudante do IFF Campus Itaperuna
O Pedinte – Direção: Luciana Cavalcante – estudante da FAAT – Atibaia
A Noiva – Direção: Luciana Cavalcante – estudante da FAAT – Atibaia
Água Com Gás – Direção: Luciana Cavalcante – estudante da FAAT – Atibaia
Cefet – My Generation – Direção: Bruno Fortunato – estudante do IFF Campus Campos Centro
Compra Ouro! Vende Ouro! Quanto Vale a Natureza? – Direção: Caio Medeiros – estudante IFF Campus Macaé
De Catraia – Direção: Damaris Ribeiro – Instituto Quero – Santos
Missão Estelar – Direção: Raphaela Teles – Instituto Querô – Santos
Aloha – Direção: Paula Luana Maia e Nildo Ferreira – Instituto Quero – Santos
Derrubando Reis – Direção: Alice Diniz – Brasília
A Vontade – Direção: Luiz Felipe Berto – estudante da UFRJ – Rio de Janeiro
Seu Arlindo vai à Loucura – Direção: Raoni Reis Novo – estudante UFSC – São Carlos
Lugar Algum – Direção: Raoni Reis Novo – estudante UFSC – São Carlos
Tabuaçu – Direção: Jéssica Felipe – estudante IFF Campus São João da Barra
Lembra-te do Dia de Sábado – Direção: Jéssica Felipe – estudante IFF Campus São João da Barra
Maragado – Direção: Jéssica Felipe – estudantre IFF Campus São João da Barra

quinta-feira, 8 de março de 2012

Mostra Curta IFF



Programação para hoje sexta feira 9 de março de 2012
TV do Refeitório:
Horários: 11:30 às 13:00 e 19:40 às 20:30h

Censura – roteiro e direção: Fabrício Mira – Campos dos Goytacazes

Cronologia Suspeita – Direção: Alexandro Florentino e Luiza Buchaul – Campos dos Goytacazes

O Cortiço – baseado no livro homônimo de Aluizio Azevedo – Direção: Reinaldo Machado – estudante do IFF Campus Campos Centro

Intervenções Poéticas Áudiovisuais

Concha Acústica:
Horários: 9:30 às 12:00h   e 15:30 às 18:00h

Cinema Nacional: Terra Estrangeira – com Fernanda Torres e grande elenco – Direção: Walter Salles

A Flôr do Mangue – filme produzido pelo NUPERN IFF Campus Macaé – Direção: Maria Inês Paes Ferreira

A Arte Existe Porque A Vida Não Basta(Fereira Gullar) – filme produzido no Laboratório de Cinema do IFF Campus Campos Centro com imagens captadas por Aline Rangel, Gabriela Azevedo e Tainá Campista – trilha sonora: Luiz Ribeiro/Avyadores do Brazyl – roteiro & Direção: Artur Gomes

Derrubando Reis – baseado em fatos reais – roteiro: Lilia Diniz – Direção: Alice Diniz – Brasília-DF

Vídeo.clipes – Ana Carolina, Cassia Eller, Herbert Vianna, Leoni

Produção: Laboratório de Cinema – IFF Campus Campos Centro
Coordenação: Artur Gomes

quarta-feira, 7 de março de 2012

Mostra Curta IFF




cosmogonia 2

a dor atravessa o país
num espelho d´água
quantas vidas quantas cheias
quantas secas quantas mágoas
o planeta devolve o tapa
que o homem dá no planeta
em seu estado de calamidade
                                       
terra,
não sei mais por quantos séculos
 suportará a agonia
de chorar a sua dor com tempestade

arturgomes



programação para esta quinta 8 de abril de 2012

TV do Refeitório -
Horários: 11:30 às 13:00h 16:00 às 16:30 e 19:40 às 20:30

Maragado - Paixão de pescador é o mar. O mar dá inspiração para uma vida livre e imprevisível, marcada pelos temporais fora de hora. Muitos se aventuram até as plataformas em alto-mar, perdem redes, cruzam rebocadores, correm risco. Mulher de pescador sofre.

Tabuaçu - Pelo poder de Deus a Terra gira. Idéias vagas de progresso sobrevoam a comunidade do Açu, sua terra e seu mar diante do fim do mundo.

Lembra-te do Dia de Sábado - Imensidão azul rompendo portas, invadindo canções, levando infâncias e memórias com a fome de um moinho . Areia, escombros, olhos, beleza.
os 3 curtas acima foram produzidos pela Oficina de Cinema Ambiental HUMANOMAR - São João da Barra

Cronologia Suspeita - Direção: Alexandro Florentino

Intervenções Poéticas Áudio Visuais

Concha Acústica
Horários: 9:00 às 12:00h e 15:00 ás 18:00h

Confesso Que Vivi no Maranhão - imagens da cultura popular do maranhão captadas numa feira de rua - Direção: Lilia Diniz

O Que Me Toca Tocantins -uma viagem no barco Tucuxi pelo rio Tocantins contrastando com imagens de Brasília. Com Alexandre Almeida, Lilia Diniz e Zeca Tocantins - finalizado no Laboratório de Cinema do IFF Campus Campos Centro - Direção: Artur Gomes

O Dragão da Maldade Contra o Santo Guerreiro - filme que deu o prêmio de Melhor Direção a Glauber Rocha no Festival de Cannes de 1969. Com Oton Bastos, Mauricio do Valle e grande elenco.

Prosa Concreta Para Haroldo de Campos - uma viagem com prosa poética, de São Bernardo a São Caetano, com José Homeroe Silvia Passareli, participações especiais de  Clara Brito e Fil Buc  tocando e cantando Janis Joplin - Direção: Silvia Passareli

Produção: Laboratório de Cinema - IFF Campus Campos Centro
Coordenação: Artur Gomes




1º série para tevê produzida inteiramente em Santos procura elenco



É ator, produtor cultural, artista circense e diretor de produção do Festival Santista de Curtas Metragens, que chega à 9ª edição este ano. Atualmente está em cartaz com o espetáculo "O que terá acontecido a Rosemary?”.


A série, a primeira a ser inteiramente produzida na Região, é realizada pela produtora Chocolate Filmes, é mais que uma obra ficcional, é um convite turístico a cidade e uma homenagem a seus habitantes, a sua cultura e a ao seu papel histórico. Serão 7 episódios que falam de relacionamentos humanos, cada um localizado em um dos canais de Santos.
A série conta com o apoio da Prefeitura Municipal de Santos e da Santos Film Commission.
 Histórias de amor e paixões tendo grandes cidades como cenário é algo já visto no cinema e recentemente na TV. Os filmes ‘Paris J’e T’aime’ e ‘New York I Love You’ além dos mais recentes filmes do diretor Woody Allen, ‘Vicky Cristina Barcelona’ e Meia Noite em Paris’, serviram de livre inspiração para este projeto.
 Em AMORES SANTISTAS, existe essa transposição, como ocorre nos filmes. Na série este universo criado é real. Cada um dos sete canais é ilustrado com seus pontos comuns e turísticos caracterizando o perfil de seus moradores e modo de vida. As histórias de amor ficcionais são alimentadas pelos encontros e desencontros de casais que buscam a felicidade na cidade.
A previsão é ir ao ar no meio do ano aos Domingos.
 A equipe responsável estará selecionando atores e não atores para integrar o elenco, e figuração, o casting será feito no dia 7 de Março, Quarta feira,  das 10hs as 18h, no MISS – MUSEU DA IMAGEM E DO SOM DE SANTOS, situado na Avenida Pinheiro Machado, nº 48.
 Perfil: atores e atrizes de 20 a 35 anos. Não precisam levar book nem fotos. No próprio local, a equipe irá fotografar os interessados e fará testes de câmera com cenas da série.

Alpharrabio 20 anos – O Alpha pelos alphas XIX

Mosaico

Hugo (Guedo Gallet)
Há que se verificar o nível do papel para que a tinta não escorra com o redemoinho causado pela fala de tantos livros. Sempre, aqui e ali, uma idéia, ou melhor ainda, uma visão decola de um lado e atravessa as salas para outro lado, como aqueles incríveis passarinhos verdes de asas fechadas. A indiazinha dos computadores escreve com fúria e um cristal emana das palavras e se estabiliza no vácuo. A muito peculiar senhora madeirense obtempera mas, às vezes, desobtempera como se nada fosse, como se apenas alteasse uma ilha do mar da Irlanda. A irmã se afana , lidando com coisas estranhamente materiais quando ela (ela mesma!) encontrou um peixe numa flor. Temos que desviar da terrível mulher das chaves: essa, muito atenta, abre e fecha portais com a mesma facilidade de um elfo ou de uma hamadríade. O rapaz vermelho lê obsessivamente sem se dar conta que seus óculos são daqueles que geram um túnel na névoa e que o papel impresso tem a raiz em outro plano. A fotógrafa que percebe devagar que as fotos só mostram o que está imediatamente à frente ou imediatamente atrás, nunca exatamente ali.
alpha20hugo
O alpha e artista residente em pleno exercício de sua genial maluquês no Alpha – Foto: Luzia Maninha, acervo ABCs Núcleo Alpharrabio de Referência e Memória.
O pintor maluco vê daqui (no entanto dali!) por causa da luz e elabora, a custo, uma cosmogonia das nuvens quase negras e do vento. A poeta loirinha e o desenhista cabuloso se perdem em signos e pequenas partes do corpo humano, como se projetassem um mapa ou um sextante. O velhinho dos pistões à vapor e dos Outros livros, vinha às vezes apenas sorrir, usando a boca como olhos e os olhos como boca. Entre losângulos isósceles de madrepérolas delicadas, o frei com a lenda partilhada tanto quanto as várias mortes do leviatã. Um outro, historiador do sonho do continente perdido, puxava as fraldas do mato e dos rios, cheios de formigas armadas, terríveis, e nomes arredondados. Agora, ou depois quem sabe, o poeta barbudo era trazido por uma chuva de partículas e umas sílabas, tantas quantas há em véus persas. O outro, um poeta sério e talvez triste (há sempre uma gota de escuridão neles todos, como uma porta que se abre num muro) tirava da cidade plasmada uma rede de becos, guias e rachaduras que mais importantes.
Há aqui uma inexplicável porém inevitável diluição parecida com o que acontece no fundo de uma taça. O som inaudível da conversa dos muitos autores e infinitos personagens que bebem e nadam num labirinto cheio de arcadas e peixes lunares. Um escudo antigo acontece atrás da porta e Agatha foi embora.

Tudo deriva sobre algodão em direção à Berlim e além, para Ierevan.
Logo, o planalto da pérsia e alguns tigres.
Logo terão chegado.



fonte: www.alpharrabio.com.br

"VIRADA CULTURAL" NO CAMPUS CABO FRIO

O evento "virada cultural" será nos dias 09 e 10 de março e é organizado por servidores e alunos. Toda comunidade está convidada a participar.

"VIRADA CULTURAL" NO CAMPUS CABO FRIO
alunos do Grêmio nos preparativos para a "virada"
Acontece, nos dias 09 e 10 de março, no campus Cabo Frio, a "Virada Cultural". O evento é um projeto multidisciplinar que  envolve alunos dos cursos técnicos integrados do campus, com apoio dos alunos dos cursos de Guia de Turismo e Eventos.

A proposta da Virada é que  seja abordada uma nova temática a cada ano. Nesta segunda edição, o tema proposto é a "loucura" em suas diversas manifestações: nas artes plásticas, na música, no cinema, na história, nos desenhos animados, na literatura, no teatro e no cotidiano do mundo contemporâneo. A apresentação do tema será realizado pelos alunos com esquetes teatrais, filmes e debates. A "loucura" enquanto doença psiquiátrica também será  cuidadosamente abordada numa palestra com a psicóloga e mestre em sociologia, Maria do Socorro Freitas, no dia 09, às 14 hs. 

Segundo a professora Adriana Peixoto, uma das idealizadoras do projeto, os trabalhos que serão apresentados são frutos das pesquisas, das conversas em sala de aula e da criatividade dos alunos. "Um evento como este proporciona a integração dos alunos, servidores e professores; valoriza a criatividade e a autonomia intelectual dos alunos que ocupam o papel de protagonistas na elaboração do conhecimento, além de proporcionar a articulação da ciência, tecnologia, arte e cultura, proposta pela nova institucionalidade dos Institutos Federais", ressalta Adriana.

O evento é aberto a toda comunidade e o campus receberá a visita de alunos das escolas municipais da região. O convite é extensivo a alunos e servidores de todo o Insituto.

festival visões periféricas

1º Festival Nacional de Cinema do IFF


balanço das inscrições:
55 filmes inscritos para Mostras Competitivas
48 filmes nas Mostras Não Competitivas

Mostras Competitivas:

categoria estudante _ filmes inscritos estudantes do IFF Campus Campos Centro, Campus Macaé, Campus São João da Barra e Campus Iteperuna - além de estudantes do Isecensa Campos, da Universidade Federal do Rio de Janeiro, FAAT Atibaia, da Universidade Federal de São Carlos e do Centro Educacional Leste de Brasília.

categoria não estudante- filmes inscritos por cineastas de Campos dos Goytacazes, Niterói, Rio de Janeiro, São Paulo, Santos, Brasília, Porto Alegre, Bento Gonçalves, Belo Horizonte, Salvador e Natal.

Mostras Não Competitivas:

Mostra Curta IFF - além dos filmes produzidos na Oficina Cine Vídeo e finalizados no Laboratório de Cinema, temos filmes inscritos de Campos dos Goytacazes, São João da Barra, Rio de Janeiro, São Paulo, Belo Horizonte, Slavador, Natal, Boa Vista, Imperatriz, Bento Gonçalves e Brasília.

Mostra Cinema Possível

8 curtas produzidos e dirigidos por Jiddu Saldanha - Cabo Frio

obs.: temos  3 filmes inscritos  em  Mostras Competitivas, estrelados por Mauro Mendonça, Rosa Maria Murtinho e Nina de Pádua, 3 grande atores do Cinema Nacional.

terça-feira, 6 de março de 2012

Mostra Curta IFF


Programação pra esta quarta 7 de Abril de 2012

Pontal – de Aluysio Abreu Barbosa, Adriana Medeiros, Antônio Roberto Gois Cavalcante e Artur Gomes – com Artur Gomes, Yvi Carvalho e Sidney Navarro – Direção: Kapi

Mateiros – Direção: Alexandro Florentino
Horários: 11:30 às 13:00h – 16:00 às 16:30:00h e 19:40 às 20:30h
Local: TV do Refeitório

Intervenções Poéticas Áudio Visuais

Cinema Nacional: Outras Histórias – inspirado na obra de Guimarães Rosa – com Cacá de Carvalho e grande elenco – Direção: Pedro Bial

Ditabranda – Documentário sobre os anos de chumbo – Direção Felipe Vianna – Rio de Janeiro

Derrubando Reis – baseado em fatos reais – Direção Alice Diniz – Brasília

Pegadas de Zila – com Rosa Maria Murtinho – sobre a poesia de Zila Mamede – Direção: Valério Fonseca – Rio de Janeiro

Vídeo.Clipes com o melhor d0 Rock e da Música Popular Brasileira

Horários – 10:00h às 12:00h e 16:00 às 18:00

Local – Concha Acústica

Produção – Laboratório de Cinema - IFF Campus Campos Centro

Coordenação: Artur Gomes