terça-feira, 29 de novembro de 2011

o mundo ronca


entre o que fala
e cala
a cara
abre-se
dentro da
madrugada
desperta
aperta o nó
e segue
alerta
contra o som
do que não veio
o silêncio
grita entre
a janela e a porta
e no quintal dos fundos
o mundo ronca
sobre tudo
aquilo
que não tenho

arturgomes

2 comentários:

  1. Belíssimo ressonar, ecoa entre linhas dum soneto, guarda-se nos sonhos do mais Novo Luar!

    ResponderExcluir
  2. Kiro, um beijão pra ti linda amiga.

    artur gomes
    http://goytacity.blogspot.com

    ResponderExcluir