sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

sobre este tecido




sobre
este tecido
que me cobre a carne
ardem
teus dedos
roçam
rasgam
riem
teus dentes
nenhum deus
aqui
sobre
este tecido
que me rasga
a carne
risco
traço
nenhum
deus dali
sobre
este tecido
que me risca
a carne
desfaço
tudo que posso
e passo
sobre
este tecido
que me despe
a carne
e fico
flechas de fogo
unhas
veias abertas
para a hora certa
quando
der na telha
de virar
o troço
e de te dar o troco

artur gomes
http://fulinaima.blogspot.com/

Nenhum comentário:

Postar um comentário