domingo, 23 de maio de 2010

brazilíricas

em qualquer esquina
as 4 da madrugada
tem um poeta bêbado
de uísque traição e metáforas
com os seus olhos de vidro
olhando folhas secas na calçada
quando se soltam do ar
e voam por entre os arcos da lapa

Nenhum comentário:

Postar um comentário